O que é assédio moral?

O assédio moral caracteriza-se por ser uma conduta abusiva, de natureza psicológica, que atenta contra a dignidade psíquica, de forma recorrente e prolongada, e que expõe o trabalhador a situações humilhantes e constrangedoras, capazes de causar ofensa à personalidade, à dignidade ou à integridade psíquica, e que tenha por efeito excluir a posição do colaborador no emprego ou deteriorar o ambiente de trabalho, durante a jornada de trabalho e no exercício de suas funções.

Onde predominam condutas negativas, relações desumanas e antiéticas de um ou mais superiores dirigida a um ou mais colaboradores, desestabilizando a relação da vítima com o ambiente de trabalho e a organização, obrigando a abandonar o emprego.

Abaixo algumas situações que podem identificar um colaborador que está sendo assediado:

  • isolado dos demais colegas;
  • impedido de se expressar sem justificativa;
  • fragilizado, ridicularizado e menosprezado na frente dos colegas;
  • chamado de incapaz;
  • torna-se emocionalmente e profissionalmente abalado, o que leva a perder a auto-confiança e o interesse pelo trabalho;
  • propenso a doenças;
  • forçado a pedir demissão.

Situações que podem identificar o agressor, podendo ser um chefe ou superior :

  • se comporta através de gestos e condutas abusivas e constrangedoras;
  • procura inferiorizar, amedrontar, menosprezar, difamar, ironizar, dar risinhos;
  • faz brincadeiras de mau gosto;
  • não cumprimenta e é indiferente à presença do outro;
  • solicita execução de tarefas sem sentido e que jamais serão utilizadas;
  • controla (com exagero) o tempo de idas ao banheiro;
  • impõe horários absurdos de almoço, etc.

O que a vítima deve fazer?

·         Resistir: anotar com detalhes todas as humilhações sofridas (dia, mês, ano, hora, local ou setor, nome do agressor, colegas que testemunharam conteúdo da conversa e o que mais você achar necessário).

·         Dar visibilidade, procurando a ajuda dos colegas, principalmente daqueles que testemunharam o fato ou que já sofreram humilhações do agressor.

·         Organizar. O apoio é fundamental dentro e fora da empresa.

·         Evitar conversar com o agressor, sem testemunhas. Ir sempre com colega de trabalho ou representante sindical.

·         Exigir por escrito, explicações do ato agressor e permanecer com cópia da carta enviada ao R.H e da eventual resposta do agressor. Se possível mandar sua carta registrada, por correio, guardando o recibo.

·         Procurar seu sindicato e relatar o acontecido para diretores e outras instancias como: médicos ou advogados do sindicato assim como: Ministério Público, Justiça do Trabalho, Comissão de Direitos Humanos e Conselho Regional de Medicina.

·         Recorrer ao Centro de Referencia em Saúde dos Trabalhadores e contar a humilhação sofrida ao médico, assistente social ou psicólogo.

·         Buscar apoio junto a familiares, amigos e colegas, pois o afeto e a solidariedade são fundamentais para recuperação da auto-estima, dignidade, identidade e cidadania.

As empresas precisam se prevenir, mediante orientação às chefias dos procedimentos para evitar quaisquer atitudes que possam caracterizar o assédio moral, utilizando ferramentas como treinamento e conscientização são contra esta situação.

Em meio a inúmeras medidas que o empregador poderá tomar para evitar ou restringir tais situações, entre eles:

  • criar um regulamento interno sobre ética que proíba todas as formas de discriminação e de assédio moral, que promova a dignidade e cidadania do empregado, proporcionando entre empresa e empregado laços de confiança.
  • diagnosticar o assédio, identificando o agressor, investigando seu objetivo e ouvindo testemunhas.
  • avaliar a situação através de ação integrada entre as áreas de Recursos Humanos, CIPA e SESMT.
  • buscar modificar a situação, reeducando o agressor;
  • não sendo possível, deverão ser adotadas medidas disciplinares contra o agressor, inclusive sua demissão, se necessário.
  • oferecer apoio médico e psicológico ao empregado assediado;
  • exige-se da empresa, em caso de abalos à saúde física e/ou psicológica do empregado, decorrentes do assédio, a emissão da CAT – Comunicação de Acidente de Trabalho.

Como gestores, temos que estar atentos a todas as situações devendo ouvir todos os lados para tomar decisões corretivas que impeçam esse tipo de situação em nossa empresa. Esse tipo de degradação ao colaborador que é quem garante o resultado da empresa é inadmissível nos dias de hoje.

Informe-se:

http://www.prt5.mpt.gov.br/cartilhas/assediomoral-sinasempu.pdf              http://jus.com.br/revista/texto/5433/o-assedio-moral-no-ambiente-do-trabalho#ixzz1sVkqtLom                                                                                               http://www.assediomoral.org/spip.php?article1                                              http://www.guiatrabalhista.com.br/tematicas/assediomoral2

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s